Lares Residenciais

Os Lares Residenciais destinam-se a alojar pessoas com deficiência intelectual e incapacidade, com idade igual ou superior a 16 anos que se encontrem impedidas temporária ou definitivamente de residir no seu meio familiar.
Devido às características desta população e às exigências da sociedade atual, os lares residenciais assumem um papel cada vez mais importante junto das famílias, complementando os deveres dos significativos na partilha de responsabilidades e prestação dos cuidados de que carecem.

A APPACDM de Albergaria-a-Velha dispõe de duas estruturas residenciais:

Lar Residencial Santa Ana (capacidade: 12 utentes)

Direção Técnica – Paula Cristina Cavaco

Lar Residencial Renascer (capacidade: 12 utentes)

Direção Técnica – Paula Cristina Cavaco (Assistente Social)

Embora a população residente em ambos os lares tenha características completamente distintas, nomeadamente em termos etários, a intervenção visa o desenvolvimento do seu projeto de vida tendo por base as suas necessidades, potenciais e expectativas.

Nesta ótica, são objetivos destas estruturas residenciais, os seguintes:

  1.  Disponibilizar alojamento e apoio residencial permanente ou temporário.
  2.  Contribuir para o bem-estar e qualidade de vida dos residentes, tendo em consideração as necessidades específicas.
  3.  Promover estratégias de reforço da autoestima e da valorização e de autonomia pessoal e social.
  4.  Assegurar condições de estabilidade aos destinatários, reforçando a sua capacidade de autonomia para a organização das atividades de vida diária.
  5.  Garantir um atendimento individual e personalizado em função das necessidades específicas de cada pessoa;
  6.  Promover a dignidade da pessoa e oportunidades para a estimulação da memória, do respeito pela história, cultura, e espiritualidade pessoais e pelas suas reminiscências e vontades conscientemente expressas;
  7.  Promover estratégias de manutenção e reforço da funcionalidade, autonomia e independência, do auto cuidado e da autoestima e oportunidades para a mobilidade e atividade regular, tendo em atenção o estado de saúde e recomendações médicas de cada pessoa;
  8.  Facilitar a integração em outras estruturas, serviços ou estabelecimentos mais adequados ao projeto de vida dos residentes;
  9.  Promover o aproveitamento de oportunidades para a saúde, participação e segurança e no acesso à continuidade de aprendizagem ao longo da vida e o contacto com novas tecnologias úteis;
  10.  Preservar e incentivar a convivência social, através do relacionamento entre os próprios clientes e destes com os seus familiares e amigos, com os colaboradores da Instituição e com a própria comunidade, no sentido da respetiva integração social.

Tendo em consideração os tipos, necessidades e expectativas dos clientes, os lares possuem uma equipa multidisciplinar, constituída por técnicos de serviço social, psicologia, enfermagem, nutricionista e terapia ocupacional. Em função do protocolo que mantemos há alguns anos com a Clínica de Fisioterapia, contamos, ainda, com a presença de um fisioterapeuta, duas vezes por semana, bem como com uma a fisiatra que faz as consultas regulares.

O acompanhamento médico, salvo raras exceções, é feito no âmbito do Serviço Nacional de Saúde.